A China diz para as Filipinas combaterem os abusos em jogos de ‘escravidão’ online

Enormes somas de divisas chinesas acabam por entrar nas Filipinas através de lavagem de dinheiro e operações bancárias subterrâneas, disse a embaixada da China em Manila

A China acusou as Filipinas de minar a sua repressão ao jogo transfronteiriço, dizendo que muitos dos seus cidadãos atraídos para trabalhar em empresas de jogos online são enganados, extorquidos e expostos à “escravidão moderna”.

Enormes somas de divisas chinesas acabam por entrar nas Filipinas através de lavagem de dinheiro e operações bancárias subterrâneas, disse a embaixada da China em Manila, acrescentando que os seus cidadãos são recrutados ilegalmente por um setor que alimenta problemas sociais e crimes em casa.

A embaixada da China afirmou que os direitos dos cidadãos estão a ser violados e dezenas foram sequestrados, torturados e abusados fisicamente por empregadores locais que confiscaram os seus passaportes.

A embaixada pede “medidas concretas e eficazes para prevenir e punir os casinos das Filipinas e outras formas de entidades de jogo, pelo emprego ilegal de cidadãos chineses e reprimir crimes relacionados que prejudicam os cidadãos da China”.

Os operadores de jogos do offshore filipino, mais conhecidos como POGOs, são um grande benefício para a economia do país, no entanto, com o apetite insaciável dos residentes da China pelo jogo, ajudam a alimentar a demanda de escritórios e residenciais e a impulsionar os gastos de retalho com uma multiplicação crescente de empresas que atendem os chineses.

O setor é profundamente opaco e a sua escala é quase impossível de medir, com o número oficial de operadores e trabalhadores nas Filipinas que se acredita ser extremamente subestimado, e com pouco incentivo para rastrear os negócios não licenciados que canalizam dinheiro para a economia.

A queixa chinesa ocorre ao mesmo tempo que legisladores proeminentes das Filipinas e alguns ministros começam a exigir controlos mais rígidos sobre a entrada de chineses no país, dizendo que muitos estão a trabalhar ilegalmente com vistos de turista.

Também ocorre no meio de tensões nos laços entre os dois inimigos históricos que se agudizaram sob a presidência de Rodrigo Duterte, em grande parte devido ao que Manila vê como um padrão de provocação este ano pela guarda costeira chinesa, militares  e milícia de pesca no Mar da China Meridional.

O porta voz presidencial, Salvador Panelo, disse que não tinha conhecimento de nenhuma comunicação oficial da China sobre abusos.

“A minha sugestão, é que registem uma queixa formal para que essa preocupação em particular seja levantada nas agências apropriadas do governo, para que possamos responder adequadamente ”, disse num briefing regular.

O influxo chinês começou em 2016, coincidindo com a ascensão de Duterte, que apoiou a decisão do regulador de jogos de licenciar jogos de azar na Internet.

Fontes e consultas:
Reuters
Bloomberg
Rappler
Philstar Global
Casino News Daily

Observatório do Jogo Responsável – Portugal

   

Categories
GAMBLING NEWS (PT)Observatório NewsPortugal Gambling News (PT)World Gambling News (PT)

RG MAGAZINE Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY