REGULADOR: FRANÇA

Consulte as nossas páginas O REGULADOR. LEGISLAÇÃO E REGULAÇÃO. OPERADORES E JOGOS LICENCIADOS. RESPONSABILIDADE SOCIAL. JOGO ILEGAL. BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS. MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS DESPORTIVOS. MAIS INFORMAÇÕES SOBRE MANIPULAÇÃO DE...

Consulte as nossas páginas

  1. O REGULADOR.
  2. LEGISLAÇÃO E REGULAÇÃO.
  3. OPERADORES E JOGOS LICENCIADOS.
  4. RESPONSABILIDADE SOCIAL.
  5. JOGO ILEGAL.
  6. BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS.
  7. MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS DESPORTIVOS.
  8. MAIS INFORMAÇÕES SOBRE MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS DESPORTIVOS.

AUTORITÉ NATIONALE DES JEUX

A Autorité Nationale des Jeux (ANJ) é uma autoridade independente. Presta contas ao Parlamento.

Esta autoridade regula os jogos de fortuna ou azar licenciados (online, nos pontos de venda e nos hipódromos). Supervisiona a política de jogo responsável dos casinos.

A ANJ assegura que a oferta legal de jogos de azar é justa e recreativa, combate os autores de fraudes, actua contra sites ilegais, lavagem de dinheiro e participa, na medida da sua competência, no combate à manipulação desportiva.

A ANJ trabalha em estreita cooperação com os seus homólogos europeus e internacionais. Esta é uma alavanca estratégica fundamental.

Estatuto e Governança

A Autorité Nationale des Jeux (ANJ) nasceu da necessidade de criar uma regulamentação uniforme e coerente dos jogos de fortuna ou azar, com poderes reforçados a fim de assegurar uma maior proteção aos jogadores.

Todos os intervenientes, tanto os monopólios como os operadores do mercado francês, e todos os tipos de jogos autorizados (lotarias, apostas em cavalos, apostas desportivas, póquer) são agora regulados pela mesma autoridade, que é atualmente responsável por uma vasta e diversificada área de regulação.

Estatuto

Em 2010, o legislador deu à Autorité de Régulation des Jeux en Ligne (ARJEL) o estatuto de autoridade administrativa independente. Este estatuto era necessário para evitar um duplo conflito de interesses: por um lado, o Estado é accionista de um dos operadores, La Française des Jeux, e por outro, deve arbitrar entre questões fiscais e de saúde pública.

Com o artigo 137º do Pacte Act sobre a privatização de La Française des Jeux e a Portaria de 2 de Outubro de 2019 que reforma o regulamentação do jogo, o legislador alargou o âmbito de intervenção da nova Autoridade do Jogo (ANJ), conferindo-lhe o estatuto de autoridade administrativa independente.

A ANJ reporta ao Parlamento: apresenta um relatório anual de actividades e o seu Presidente pode ser ouvido pela comissão competente de cada uma das duas assembleias.

Governança

Isabelle Falque-Pierrotin, Conseiller d’État, tem sido Presidente da ANJ desde junho de 2020. Foi nomeada por decreto do Presidente da República. Desempenha este cargo a tempo inteiro e preside o Colégio, o qual se reúne quando convocado por si.

O Colégio da ANJ é composto por 9 membros nomeados por 6 anos. O seu mandato não é revogável nem renovável. Os outros membros do Colégio, dois (uma mulher e um homem) são nomeados pelo Presidente da Assembleia Nacional e pelo Presidente do Senado. Adicionalmente, seis membros são nomeados por decreto, três mulheres e três homens:

Em alternância, um membro do Conseil d’État e posteriormente do Cour de Cassation, sob proposta do Vice-Presidente do Conseil d’État ou do Primeiro Presidente do Cour de Cassation.

Cinco membros com base nas suas competências.

Os membros do painel não exercem funções a tempo inteiro. É renovado por fração de dois em dois anos.

O painel delibera por uma maioria dos membros presentes. O Presidente tem direito a voto de qualidade em caso de empate.

Para desempenhar as suas funções, o Conselho é apoiado por três órgãos consultivos permanentes, que são responsáveis pela prevenção do jogo excessivo ou patológico, pela supervisão das operações de jogo e pelo combate ao branqueamento de capitais. O Conselho estabelece as condições nas quais as comissões o assistem.

O Comissário do Governo assiste às reuniões do Órgão Consultivo a título de aconselhamento. Os pontos da agenda relacionados com decisões relativas a jogos ou operadores de apostas online licenciados são examinados sem a sua presença. Ele é nomeado por ordem do ministro responsável pelo orçamento.

Comissão de Execução de Sanções

Constituído por seis membros do Conselho de Estado, do Cour de Cassation e do Cour des Comptes, por um período de seis anos, renovável uma vez, a comissão execução de sanções é consultada pelo Colégio no contexto de um procedimento de sanções contra um operador “que tenha falhado ou não cumpra as obrigações legislativas e regulamentares aplicáveis à sua atividade”. Pode impor sanções que incluem advertência, suspensão da exploração dos jogos ou da licença, ou sanções financeiras até 5% do volume de negócios.

O Provedor do Jogo

Propõe soluções para litígios que surgem no contexto de uma operação de jogo entre um jogador ou apostador e um operador autorizado pela ANJ ou um operador com direitos exclusivos para locais de venda. O Provedor tem um sítio web específico.

Este Provedor é Denys Millet.

Ir para o sítio Web do Provedor

A organização da ANJ

Os serviços da ANJ são compostos por sessenta funcionários, sobretudo contratados:

52% homens / 48% mulheres
40 anos em média
5 anos de antiguidade
8,9 milhões de euros de orçamento

Ir para o organigrama

Missões

As missões da ANJ estão estruturadas em torno de quatro objetivos :

  • Prevenir os jogos de fortuna ou azar excessivos ou patológicos e proteger os menores;
  • Assegurar a integridade, fiabilidade e transparência dos jogos de fortuna ou azar;
  • Prevenir atividades fraudulentas e criminosas, bem como o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo;
  • Assegurar o desenvolvimento equilibrado e justo de vários tipos de jogos, a fim de evitar qualquer desestabilização económica dos setores em causa.

As relações da ANJ com os seus colegas europeus estão organizadas no seio de dois organismos:

  • O GREF, Fórum Europeu dos Reguladores do Jogo: 41 reguladores de 34 Estados europeus reúnem-se num fórum para trocar pontos de vista e informações e discutir políticas de jogo.
  • O “Grupo de Reguladores”: reúne as autoridades reguladoras francesas, espanholas, italianas, portuguesas, britânicas, alemãs e austríacas. Reuniões periódicas são organizadas em torno de questões regulamentares de atualidade. Cada membro do grupo dá, por sua vez, as boas-vindas às delegações das outras autoridades reguladoras.

A ANJ responde igualmente a pedidos escritos de cooperação, a maioria dos quais são tratados no âmbito do Acordo de Cooperação entre as autoridades reguladoras dos jogos de fortuna ou azar do Espaço Económico Europeu.

Presentemente, apenas os operadores online que oferecem apostas desportivas, apostas em corridas de cavalos e jogos de póquer podem obter a licença da ANJ. No website da ANJ há uma lista de operadores aprovados e os seus websites. Além disso, uma secção especial do site é reservada às decisões publicadas do Conselho (aprovações e rejeições).

Em junho de 2010, a ANJ contactou operadores de jogo não licenciados que aceitavam jogadores franceses solicitando-lhes que deixassem de o fazer. Este foi o primeiro passo para proibir os websites que não obtiveram a aprovação da ANJ e que funcionaram sem licenças. Depois a organização concentrou-se em bloquear o acesso a esses websites, em vez de tentar processar os operadores sediados no estrangeiro.

Em agosto de 2010, recorreu aos ISPs franceses pedindo-lhes que bloqueassem os sites não licenciados. Apesar da relutância inicial dos ISP em obedecerem à ANJ, o Tribunal de grande instância de Paris sustentou que devem agir no sentido de impedir os jogadores franceses de acederem a tais páginas web. A multa pelo não bloqueio do domínio foi estimada em 10.000 euros por dia. Embora a ANJ possa multar os operadores não licenciados (até 100.000 euros), foi mais eficaz agir através dos provedores de serviços de Internet.

A ANJ em resumo

A ANJ, uma autoridade administrativa independente

A ANJ regula os jogos online a dinheiro autorizados, nos locais de venda e nos hipódromos e monitoriza a política de jogo responsável dos casinos. Assegura que os operadores autorizados no mercado francês cumpram as suas obrigações.

PÁGINA SEGUINTE: 2. LEGISLAÇÃO E REGULAÇÃO.

Informação do Observatório do Jogo Responsável – Portugal          
Fonte: Autorité Nationale des Jeux 
REDE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 
Categories
INFORMAÇÃO RELEVANTEReguladores Info

RG NEWS Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY