Viciados em jogos e apostas que procuram ajuda no Google são bombardeados com anúncios de casinos online

Jogadores que procuram por software desenvolvido para ajudar quem se confronta com problemas de jogo mostram promoções de milhares de libras em apostas e bónus grátis

Viciados em jogos de fortuna ou azar que procuram ajuda no Google para sair são bombardeados por anúncios de casinos online.

O algoritmo da empresa de busca exibe anúncios que promovem milhares de libras de bónus oferecidos por sites de jogo e apostas, com muitos que até se vangloriam de serem capazes de contornar o software projetado para proteger jogadores problemáticos.

O Google pesquisa o Gamstop , um programa do Reino Unido que permite que as pessoas se banam do jogo online, envia usuários para listas de casinos baseados no exterior que não incluem serviço de autoexclusão.

Os anúncios potencialmente atraem usuários vulneráveis ​​a fazer mais apostas no momento em que procuram parar de jogar de vez.

Alguns dos anúncios ainda foram exibidos, mesmo depois de o Independent destacar o problema para o Google e a empresa de tecnologia dizer que qualquer conta incorreta foi suspensa de sua plataforma do AdWords.

Resultados para uma pesquisa da ‘Gamstop UK’ na quinta-feira 2 de janeiro; O Google diz que as contas relevantes foram suspensas da sua plataforma de publicidade

Na quinta feira, o principal resultado de uma pesquisa no Google pela “Gamstop UK” foi um anúncio informando: “Não está em sites populares da Gamstop – receba bónus de 300%”.

Todos os quatro principais links, pelos quais os anunciantes pagam ao Google, apontam para listas de casinos, permitindo aos clientes tornear o serviço de autoexclusão.

Clicar nesse link de pesquisa leva a listas de dezenas de ofertas que apresentam novos clientes com centenas de rodadas grátis em slot machines online, roleta e outros jogos potencialmente viciantes em casinos virtuais baseados em Chipre e na ilha caribenha de Curaçao, entre outros locais.

O link para o site atual da Gamstop foi relegado aos resultados de pesquisa gratuitos do Google, que começam na posição cinco da página. As pesquisas de vários outros termos relacionados geraram resultados semelhantes.

Carolyn Harris, parlamentar trabalhista e presidente de um grupo interpartidário de danos relacionados a jogos de azar, disse que os anúncios são imorais.

“Não culpo necessariamente o Google”, disse Harris. “De certa forma, são vítimas de empresas capazes de ignorar quaisquer medidas que sejam implementadas.

“Tenho sérias reservas sobre todo o sistema de autoexclusão e a disposição da indústria de jogos de azar em resolver o problema”.

O grupo parlamentar de todos os partidos deve se reunir na próxima semana e conduzirá uma investigação sobre a questão dos anúncios on-line que prejudicam os esforços para enfrentar o problema do jogo.

A diretora executiva da Gamstop, Fiona Palmer, disse estar “muito preocupada” com o impacto que os sites podem ter sobre as pessoas que se autoexcluíram.

“Quando as pessoas pesquisam informações sobre a exclusão automática de jogos de azar online, devem ver apenas os resultados relacionados à Gamstop e às organizações que fornecem suporte para problemas com jogos de fortuna ou azar “, disse Palmer.

“Consequentemente, estamos trabalhando com o Google e outros mecanismos de pesquisa para garantir que, quando as pessoas pesquisem informações sobre a exclusão automática de jogos de fortuna ou azar online, o nosso site seja exibido com destaque e esses sites não sejam incluídos nos resultados da pesquisa”.

Os anúncios do Google parecem ser colocados por empresas de terceiros, e não pelos próprios casinos online. As empresas de jogos de fortuna ou azar pagam taxas de indicação a intermediários procuram encontrar novos clientes que podem transformar-se em jogadores regulares lucrativos.

Esta semana, foi revelado que os lucros de milhares de milhões de libras das empresas de apostas dependem de jogadores problemáticos  num relatório obtido pelo The Guardian , que mostrou que uma empresa coletava 83% de seus depósitos de apenas 2% de seus clientes.

Um porta-voz do Google disse: “Apoiamos a publicidade responsável sobre jogos de fortuna ou azar e é importante para nós que as pessoas vejam anúncios úteis e relevantes nessa área.

“Como tal, temos políticas rígidas em torno de anúncios de jogos de fortuna azar, as quais aplicamos rigorosamente. Suspendemos as contas em questão.”

A empresa diz que usa uma combinação de humanos e algoritmos para verificar anúncios e fazer cumprir as suas regras.

Mas na sexta feira, depois que o Google forneceu uma declaração, pelo menos um anúncio de jogo ainda era exibido perto do topo dos resultados de pesquisa para a Gamstop

“Não perca a possibilidade de se divertir novamente”, dizia o anúncio. “Encontre os melhores sites que não estão na Gamstop aqui.”

Uma pesquisa por ‘Gamstop UK’ na sexta-feira, 3 de janeiro, ainda mostrava um anúncio que permitia aos jogadores contornar o software desenvolvido para ajudá-los a sair.

Anúncios de jogos de fortuna ou azar já foram inadequadamente colocados nas pesquisas do Google. Em outubro, a Advertising Standards Authority (ASA) proibiu um anúncio de um aplicativo de casino que segmentava clientes que pesquisavam “Como cancelar a inscrição de todos os jogos de azar”.

O órgão de comércio do Conselho de Apostas e Jogos instou o Google e outros mecanismos de pesquisa a atualizar as suas listas negras de jogos para evitar que problemas semelhantes surgissem novamente no futuro.

Qualquer pessoa que veja anúncios de jogos de fortuna ou azar direcionados aos resultados de pesquisa para obter ajuda com vícios é aconselhada a entrar em contato com o regulador do setor, a Gambling Commission .

The Independent
The Union Journal
Sky Statement
Herald Plane
GPWA 
Casino Guardian
Reddit
Pressbee
GGB News

Observatório do Jogo – Portugal

   

Categories
GAMBLING NEWS (PT)Observatório NewsPortugal Gambling News (PT)

RG MAGAZINE Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY