RGA pede mudanças nos impostos do jogo online de Portugal

Desde que Portugal aprovou a sua lei de jogos online há dois anos, o organismo responsável pela atividade, o SRIJ, recebeu 19 pedidos e concedeu apenas 6 licenças. De...
RGA pede mudanças nos impostos do jogo online de Portugal

Desde que Portugal aprovou a sua lei de jogos online há dois anos, o organismo responsável pela atividade, o SRIJ, recebeu 19 pedidos e concedeu apenas 6 licenças. De acordo com a Remote Gambling Association (RGA), os altos impostos tornam o mercado ‘pouco atraente’ para os investidores.

O organismo responsável pelo setor dos jogos online, o Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos do Turismo de Portugal (SRIJ) emitiu apenas seis licenças desde que Portugal aprovou a sua lei de jogos online há dois anos. O governo aprovou regras para jogos de azar on-line e apostas no dia 29 de abril de 2015.

Durante este período, a SRIJ recebeu 19 candidaturas de operadores que pretendem operar no mercado português de apostas on-line e concedeu seis licenças. De acordo com a Remote Gambling Association (RGA), os altos impostos tornam o mercado “pouco atraente” para os investidores.

Clive Hawkswood, presidente-executivo da RGA, disse: “Está claro em todas as evidências de que o mercado português não está operando da maneira que o governo pretendia. Apenas seis licenças foram concedidas até agora, das quais apenas duas são para apostas esportivas que se comparam desfavoravelmente com jurisdições bem regulamentadas da Europa e podem não ser suficientes para canalizar os consumidores para o mercado regulamentado. A principal razão para isso é o 8 e 16 por cento de imposto sobre o volume de negócios on-line de apostas esportivas que torna o mercado pouco atraente para a maioria dos operadores europeus”.

“Há também uma gama de questões regulatórias, tais como as limitações sobre a liquidez do poker, que beneficiaria de reconsideração. Se puderem ser feitas alterações adequadas, especialmente no plano fiscal, então, mais operadores irão obter licenças e isso, por sua vez, permitirá ao regulador policiar o mercado de forma mais eficaz. Neste contexto, instamos veementemente o Governo português a seguir o exemplo de outros países da UE onde regimes fiscais viáveis e boa regulamentação criaram mercados que são bem sucedidos para os seus governos; proteções adequadas para seus consumidores e permitindo que a indústria seja competitiva e rentável”, acrescentou Hawkswood.

O novo ato tornou-se rapidamente uma questão de crescente urgência à medida que a economia de Portugal continuava a falhar e o governo esperava aumentar para levantar mais € 25 milhões em receitas fiscais. No entanto, a nova lei impôs um imposto entre 15 e 30% para os operadores de cassinos e 8 e 16% para os operadores de apostas esportivas.

Embora o novo movimento tenha marcado uma mudança significativa na política de jogo em Portugal, foi imediatamente submetido a fortes críticas devido à elevada taxa de imposto. A RGA argumentou em 2014 que os planos portugueses de reforma, em particular, os impostos proibitivos que se aplicariam às apostas esportivas on-line tornariam quase impossível o estabelecimento de um mercado concorrencial competitivo e descreveriam as novas taxas como “punitivas” e “impraticáveis”.

Fonte: GMB / G3 Newswire

 

REDE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL
visite-jogo-responsavel-2  visite-jogo-responsavel-4  visite-jogo-responsavel-3  visite-1SEGURANÇA DO JOGADOR                                              SEGURANÇA DO JOGO                                                     MONITORIZAÇÃO DO JOGO                                              INFORMAÇÃO DO JOGO
WEBSITES DE JOGO ONLINE COM LICENÇAS EM PORTUGAL 
bet.pt  betclic-pt-logo  estoril-sol-casinos  pokerstars
Categories
GAMBLING NEWS (PT)World Gambling News (PT)

RG MAGAZINE Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY