Governo espanhol quer acabar com o patrocínio das casas de apostas nos clubes de futebol

O ministério do consumo espanhol já avisou que os clubes que continuam a celebrar contratos com estas entidades poderão ter de os rescindir assim que a lei entrar em vigor.

O governo espanhol vai apresentar um decreto real que visa proibir o patrocinio das casas de apostas aos clubes de futebol, mas também limitar a publicidade do jogo online no país.

O ministério do consumo espanhol já avisou que os clubes que continuam a celebrar contratos com estas entidades poderão ter de os rescindir assim que a lei entrar em vigor.

O ministério do consumo espanhol, quer aprovar um decreto real sobre o jogo online até outubro, cujo objetivo é eliminar a publicidade das apostas desportivas nos clubes de futebol. Se os prazos forem cumpridos, os clubes que têm contratos de patrocínio com estas casas de apostas, devem rescindi-los mesmo nos casos em tenham sido celebrados há pouco tempos, segundo o “El Economista”.

A validação do decreto real no congresso implica que, até outubro, seja proibida qualquer publicidade de jogo online, em qualquer formato, com exceção entre a uma e as cinco da manhã. A futura regra foi reforçada depois das críticas à primeira proposta, que não contemplava os clubes de futebol. Agora, impedir o patrocínio nos equipamentos desportivos e nos estádios passou a ser um dos principais objetivos da nova lei.

“É temerário que os clubes estejam a renovar estes patrocínios. A partir de outubro nenhum contrato poderá ser assinado e haverá um curto período para extinguir os existentes”, destacou Alberto Garzón durante uma entrevista ao “Onda Madrid”.

As palavras do ministro surgem depois de vários clubes terem anunciado contratos com casas de apostas. A William Hill, por exemplo, celebrou esta semana um acordo para ser o patrocinador oficila dos equipamentos do Rayo Vallecano, Sporting de Gijón e UD Logronés nas últimas horas, ao mesmo tempo que também renovou os patrocínios pré-existentes com outros clubes.

Fontes do ministério do consumo, consultadas pelo “EL Economista” não esclarecem quanto tempo será o período de adaptação para cancelar os contratos, mas o ministro deu a entender durante o seu discurso que não serão “anos como alguns desejam”.

O decreto real de publicidade do jogo online obteve o aval da Comissão Europeia em julho. A sua entrada em vigor significará um antes e um depois para a publicidade das casas de apostas, que poderá influenciar outros países a seguirem o mesmo caminho.

Observatório do Jogo Responsável – Portugal

Categories
GAMBLING NEWS (PT)Observatório NewsPortugal Gambling News (PT)

RG MAGAZINE Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY