Dona do CM entra nas Apostas online

São quatro as empresas com licenças, duas na área das apostas desportivas. O mercado nacional, dominado por dois players irrelevantes no panorama internacional, está prestes a mudar com a...

São quatro as empresas com licenças, duas na área das apostas desportivas. O mercado nacional, dominado por dois players irrelevantes no panorama internacional, está prestes a mudar com a entrada da Cofina e da Santa Casa.

O mercado das apostas online vai alargar-se. Com um projeto da Santa Casa da Misericórdia (e de outras instituições), mas também com empresas ligadas aos media. O SOL sabe que a Cofina, dona do Correio da Manhã, se prepara para constituir uma empresa para entrar no mercado dos milhões, onde atualmente operam a Betclic.pt e a Bet.pt, esta última gerida por Gabino Oliveira, filho de Joaquim Olveira – o empresário que detém uma participação na Global Media, grupo proprietário do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Em Portugal, o Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ) do Turismo de Portugal – a entidade responsável por analisar os pedidos de licenciamento – só emitiu, até agora, cinco licenças para jogo online para quatro entidades: «Duas licenças para a exploração de apostas desportivas à cota e três para jogos de fortuna ou azar».

Exploração à cota significa que, nestas duas ‘casas’ de apostas desportivas, os apostadores jogam contra a entidade exploradora – neste caso a Betclic.pt e a Bet.pt – e não num modelo aberto, em que se pode apostar contra outros jogadores. Este último modelo aliás, ainda não pode funcionar em Portugal uma vez que ainda não está previsto na lei – uma alteração que já deveria ter acontecido até maio deste ano. Em resposta ao SOL, porém, a Secretaria de Estado do Turismo garante que está a trabalhar nessa matéria.

Além da Betclic.pt e da Bet.pt, operam atualmente no mercado das apostas online (não desportivas) o Casino Estoril e a Pokerstars.

Santa Casa entra no mercado

A Santa Casa da Misericórdia está também a ultimar a sua entrada no mercado das apostas online, com a constituição de uma empresa juntamente com a Fundação Montepio, a ACAPO, a Caritas e a União das Misericórdias. A informação foi confirmada ao SOL por Edmundo Martinho, vice-provedor da Santa Casa e administrador executivo do Departamento de Jogos: «A empresa está em fase de constituição. A Santa Casa explora os jogos sociais offline por conta do estado, que são os jogos sociais do Estado e foi entendimento que deveria ao mesmo tempo estar no mercado das apostas online».

O vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa adianta ainda que «se entendeu que a presença no mercado do jogo online pode e deve contribuir, tal como os jogos sociais do Estado, para que os eventuais recursos que esta empresa gere possam e devam ser utilizados em causas sociais».

A empresa, que será constituída nos próximos dias, pedirá depois as respetivas licenças para poder começar a operar – até agora ainda não tem nome definido.

Entra e sai de dirigentes

A constituição desta empresa parece coincidir temporalmente com a que a que a Cofina está a criar. Ao que o SOL apurou a luta neste mercado tem também conduzido a uma guerra de contratações de profissionais.

Uma das mudanças terá sido a saída de profissionais conhecedores do jogo da Santa Casa para a dona do Correio da Manhã. A Cofina terá recrutado pelo menos duas pessoas com cargos importantes no Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia.

E a Betclic.pt também terá entrado nesta disputa, indo buscar um profissional. Informações que que Santa Casa da Misericórdia recusou confirmar.

Ao que o SOL apurou, para a Cofina terão saído um anterior administrador executivo dos jogos e o diretor dos sistemas de informação. Enquanto para a Betclic.pt foi um dirigente intermédio.

Só os ‘pequenos’

conseguiram licenciamento

Um ano e meio após ter sido aprovado o regime jurídico das apostas online, e porque ainda não ainda não é possível apostar com outros jogadores nem haver odds elevadas, Portugal continua sem ser um mercado apetecível para os apostadores profissionais. As duas empresas que existem estão longe de poder rivalizar com os gigantes internacionais como a Betfair (que apesar de ser um dos principais players ainda não teve resposta ao pedido de licenciamento) e a Bet365.

O Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos do Turismo de Portugal afirma que já recebeu «candidaturas de 12 empresas distintas para todas as categorias de jogos e apostas online previstas na lei, num total de 16 candidaturas».

É a esta entidade que cabe verificar «o cumprimento dos requisitos legais por parte das requerentes, nomeadamente, capacidade técnica, económica e financeira e idoneidade».

O jornalista e comentador desportivo António Tadeia não poupa nas críticas para definir o mercado de apostas online português: «As casas de apostas que estão a funcionar neste momento em Portugal, seja a Betclic, seja a Bet.pt são a coisa mais próxima do assalto à mão armada que pode haver porque funcionam com odds [possibilidades de o jogador ganhar] muito abaixo daquilo que é o mercado internacional».

Para o jornalista e comentador desportivo – e responsável pelo site com o seu nome –, é muito «estranho» que tenham sido emitidas tão poucas licenças. «Porque razão é que o governo não quer ativar uma fonte de coleta de impostos que seria muito importante?», questiona.

Adianta ainda ser muito estranho a Betfair não ter ainda conseguido licença e o mercado de apostas cruzadas não está ainda sequer a funcionar em Portugal: «Os profissionais, as pessoas que mais investem neste mercado e que seriam à partida os mais atraentes para a coleta de impostos, que não funcionam com base em cashflows permanentes esses estão impossibilitados de o conseguir no mercado em Portugal».

Ténis

Na quarta-feira, a polícia espanhola deteve 34 pessoas – entre os quais seis jogadores de ténis – suspeitos de viciar resultados em torneios em Portugal e Espanha que lhes terão rendido em apostas cerca de um milhão e meio de euros. Os detidos, todos espanhóis, são suspeitos de ter manipulado resultados em 17 torneios.

Skënderbeu

Este ano o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão à UEFA, que tinha concluído que a vitória do Sporting sobre o Skënderbeu por 5-1, em Alvalade, foi viciada. A UEFA suspeitou que o resultado tinha sido manipulado pela quantidade anómala de apostas que envolveram o jogo e afastou os albaneses da Liga dos Campeões de 2016/17.

Jogo Duplo

Em maio, a Polícia Judiciária deteve quatro jogadores do Oriental, quatro jogadores do Oliveirense, dirigentes do Leixões e um dirigente dos Super Dragões suspeitos de combinar resultados. A operação – que recebeu o nome de Jogo Duplo – surgiu após uma denúncia da própria FPF.

Fonte: Sol

REDE DE RESPONSABILIDADE SOCIAL
visite-jogo-responsavel-2  visite-jogo-responsavel-4  visite-jogo-responsavel-3  visite-1SEGURANÇA DO JOGADOR                                              SEGURANÇA DO JOGO                                                     MONITORIZAÇÃO DO JOGO                                              INFORMAÇÃO DO JOGO
WEBSITES DE JOGO ONLINE COM LICENÇAS EM PORTUGAL 
bet.pt  betclic-pt-logo  estoril-sol-casinos  pokerstars
Categories
GAMBLING NEWS (PT)Portugal Gambling News (PT)

RG MAGAZINE Gambling and Social Responsibility
No Comment

RELATED BY